Por que os bebês choram?

Vamos falar de um assunto que deixa as mamães de cabelo em pé: o choro dos bebês.

Como mãe e médica, sei bem o quanto o choro dos bebês pode ser desesperador… O bebê chora e nós choramos junto.

Então, para enfrentarmos esses momentos com calma e tranquilidade, vamos desmistificar!

O choro do recém-nascido.

A maioria dos bebês nasce chorando, alguns demoram um pouquinho mais, mas em algum momento você vai ouvir aquele choro tão esperado.

choro vagido

Mas, por que os bebês choram?

Eu sempre respondo de uma maneira simples: Porque eles não sabem falar!

Sim! O choro é a comunicação do bebê!

bebê-recem-nascido-chorando

Ouço muitos pais preocupados com o choro nos primeiros dias de vida.

Será fome? Cólica?

Nem sempre.

Vamos pensar: o bebê estava lá dentro da barriga, no escurinho, quentinho, silêncio, perto da mãe e de repente se vê em um lugar barulhento, iluminado, mais frio..

via GIPHY

É difícil para eles.

Muitos bebês choram apenas pela adaptação a essa “nova vida”. Eles querem apenas o aconchego e é por isso que se acalmam quando são colocados no seio da mamãe…As vezes nem é fome, apenas ficam calmos por estar pertinho da mãe .


Então eles crescem e…continuam chorando….Por que será agora?

Você ficava feliz quando passava a mão na barriga e ele chutava. Você adora os momentos em que ele está calminho e olha com ternura. Vibra com os primeiros sinais que ele reconhece sua voz.

Então, todas essas são formas de comunicação. E com o choro não é diferente.
O choro é a principal maneira dos bebês comunicarem o que estão sentindo.  É o modo como eles expressam as suas necessidades.
A princípio, pode ser difícil entender os diferentes chorinhos de seu bebê, mas prestando atenção, logo começará a reconhecer o que ele está sentindo e passar a realmente comunicar-se com ele.

mamãe segurando o bebe
Essas são as razões mais comuns por que os bebês choram:

  1. Seu bebê está com sono ou cansado, os bebês têm dificuldade em “desligar”, então muitos choram até cansar e aí dormir.
  2.  A fralda está suja. O mais fácil de identificar e resolver. Nunca deixe seu bebê com a fralda cheia, além de incomodar, pode causar assaduras.
  3.  Seu bebê está com fome. Fácil de resolver, porém, muitos bebês quando estão irritados tem dificuldade de pegar no seio, nesse caso, tente tranquiliza-lo, vá a um lugar calmo para amamentar.
  4. Ele está sentindo alguma dor, como gases, cólicas, refluxo. É um chorinho diferente, eu digo que parece um choro “doído”, ele é constante, alto e seu bebê pode encolher e esticar as perninhas, além de ficar todo vermelho. A cólica geralmente vem no final do dia e pode durar algumas horas.
  5.  Ambiente muito barulhento ou com muita atividade em volta. Assim como os adultos, seu bebê pode ficar irritado, ansioso com muita gente em volta.
  6. Doenças. Se você já fez de tudo e seu bebê continua chorando, peça ajuda ao seu médico, nada melhor que um bom pediatra para acalmar os papais aflitos.

Pense bem se você também não teria vontade de chorar se tivesse um destes motivos!

Eu digo mais, é muito importante que ele chore!

Assim você vai atendê-lo e responder às suas necessidades.

Bebês que não choram, não respondem a você, ao ambiente e às influências sensoriais, precisam de ajuda. Consulte seu pediatra se nesse caso.


Ok, já sei porque meu bebê chora, mas o que eu faço Dra. Helena?

 Fique Calma e Concentrada

A primeira coisa a fazer é verificar todos os itens desta lista acima para descobrir o que está acontecendo.

Fiz um arquivo Por que seu bebê está chorando que você pode baixar e usar no celular, ou imprimir e manter ao seu alcance. Assim, pode verificar a qualquer momento, mesmo se estiver nervosa, se checou todos os motivos mais comuns do chorinho do seu bebê.

Pode até parecer bobo, mas não é. É uma técnica que dá super certo se você estiver insegura ou ansiosa. Vai ajudá-la a ficar mais calma e centrada, para entender o que está acontecendo com seu bebê e atendê-lo. Inclusive, é muito útil quando você não estiver por perto e ele estiver com um parente ou cuidador.

Reconheça seus limites


Mamães não precisam ser super-heroínas!
Você também precisa prestar atenção aos seus próprios sinais de alerta. Seu bebê sente o que você sente, então quando estiver sentindo-se sobrecarregada, nervosa, ansiosa, peça ajuda! Peça para alguém acalmar o bebê e então cuide de você.
Faça uma pausa, saia ao ar livre, converse com um familiar ou amigo. Mas fale com alguém que realmente irá ajudar e não “botar lenha na fogueira”.
Saiba seus limites!



Não compare seu bebê com o filho dos outros


Se você ganhasse um real cada vez que ouve “mas o filho da fulana não faz isso”, você estaria cuidando de seu bebê em uma praia do Caribe.
Você já sabe que não há dois bebês iguais, mas não resiste a escutar outros pais falando sobre como seus bebês são calmos, dormem tranquilos e quase não choram.
Esqueça as comparações, elas podem criar muitas expectativas que não correspondem a sua realidade. Seu bebê é único e a ligação de vocês também. Logo vocês irão se entender perfeitamente.


Você não precisa ser perfeita

Eu sei que você quer ser perfeita, mas maternidade não é sobre a perfeição. É sobre compreensão e aceitação.
É impossível estar totalmente presente e atento a seu filho 24 horas por dia.
O mais importante é criar uma ligação saudável com seu bebê. Por isso, não se preocupe se falhar algumas vezes e precisar de ajuda. Relaxe e curta muito os momentos em que vocês estão a sós, para criar confiança e tranquilidade.


Peça ajuda


Nos momentos mais agitados do dia, peça ajuda . Crie laços de confiança com quem vai ajudar. Explique para a pessoa e converse sobre seu modo de agir com o bebê. Assim, você ficará mais tranquila para enfrentar estes momentos, sabendo que você e o ajudante estão em sintonia.



Conheça seu bebê


Como você já sabe, cada bebê tem diferentes necessidades.
Alguns podem adorar serem abraçados e outros nem tanto. Alguns choram muito por causa de uma fralda molhada, enquanto outros vai ignorá-la e continuar tranquilos.
Conheça seu bebê, para tentar descobrir o que ele precisa.


Espere ai que tenho mais dicas! Fique atenta a:

1. Mudanças de humor 
Veja se as mudanças de humor do seu bebê têm a ver com trocar de ambiente, horas específicas do dia, horário da comida ou do soninho.
Se seu bebê estiver irritado, observe se ele está enviando outro sinal que você não está percebendo, como um bocejo ou esfregando os olhinhos.

2. Os diferentes tipos de choro
Esse aprendizado é muito importante. Leva algum tempo, mas, gradualmente, você vai entender que o choro “estou com fome” é bem diferente do choro “estou cansado”.
Observe o tipo de choro e a intensidade juntamente com a linguagem corporal e as expressões faciais de seu bebê.
Por exemplo: se ele está fazendo beicinho pode ser uma dorzinha leve. Se está de  olhos bem fechados pode estar precisando dormir, um choro bem agudo e alto pode ser uma dor mais forte como uma cólica. Os sinais comunicam algo específico sobre o que ele está sentido.

Você vai aprendendo com o tempo e prestando atenção. Mas, principalmente, mantendo-se calma, pois quando você se desespera ou se irrita, perde todas as habilidades de percepção.
Então, primeiro acalme-se, depois acalme seu bebê. Logo vai ser bem mais fácil identificar os motivos do choro.

Algumas maneiras simples para acalmar um bebê chorando:

  • Alguns bebês pequenos se acalmam com a técnica de “swaddle”, que é envolvê-lo em um cueiro ou mantinha, mantendo seus braços presos. Essa técnica relembra os momentos dentro do útero e eles se sentem mais seguros. Vale para recém-nascidos, porque bebês maiores podem irritar-se por não conseguir mexer os braços.bebe-enrolado-manta-swaddle
  • Coloque-o na posição de “sapinho” no seu peito. Ouvir os batimentos cardíacos também faz lembrar o útero da mãe e acalmá-lo.
  • Segure-o deitado de lado, com sua mão na barriguinha dele. Esquentar a barriguinha com a mão, com bolsa de água quente ou de sementes pode aliviar as dores de cólica.
  • Vá para um ambiente tranquilo, com a luz mais baixa e silencioso.
  • Leve seu bebê para passear no carrinho, a não ser que ele seja daqueles que choram mais no carrinho.bebe com chupeta
  • Se você for adepto do uso da chupeta, ela pode acalmar seu bebê. O movimento de sucção é calmante e pode aliviar dores.

sindrome do bebê sacudido

Você precisa se cuidar para poder cuidar do seu bebê

Você precisa estar bem para deixar seu bebê tranquilo. O relacionamento entre vocês é uma parceria. Suas emoções farão a diferença em como ele reage.
Se você estiver se sentindo sobrecarregada, deprimida, irritada, ansiosa ou distante, com certeza não vai conseguir acalmá-lo.
Preste atenção nos seus próprios sinais e peça ajuda se estiver:

  •  Depressivo
  • Com medo excessivo da maternidade
  • Exausta por não estar descansando e dormindo– Sofrendo de uma doença psíquica ou com problemas crônicos de saúde
  • Com problemas no relacionamento com seu marido ou companheiro


Assim como você, lembre-se que seu bebê também tem emoções. Ele sente felicidade, tristeza, alegria e raiva desde o primeiro momento da vida.
Da mesma forma que você reage aos sentimentos negativos das outras pessoas, ele também vai reagir aos seus sentimentos negativos, com uma capacidade incrível de percepção. Afinal, vocês têm um laço muito importante desde que ele foi gerado.
Pensar em seu bebê como um indivíduo com uma personalidade única vai facilitar a interpretação e a resposta a seus choros.
Coloque o bebê no berço e conte até dez, respire fundo.
Encontre um  mantra. Um som, ou frase dito repetidas vezes, para proporcionar conforto e inspiração. Ao invés de falar alto e qualquer coisa que vier a mente, use e um mantra para fornecer perspectiva, conforto e energia para continuar. Como: “Apenas respire”, “Isso é difícil, mas você consegue”,  “Tudo vai ficar bem”.

Tenho certeza que você e seu filho logo estarão se entendendo e comunicando. Vão fortalecer os laços e viver este amor incondicional para vida toda.

Você pode entrar em contato comigo nas Redes Sociais.

Facebook

Instagram

Email: contato@drahelena.com

Deixando mensagem aqui nos comentários do post.